ODEIO STALIN


Os crimes do nacional-socialista Hitler são constantemente lembrados e exorcisados em filmes, museus do holocausto, memoriais, aniversários da libertação de Auschwitz. Mas e os crimes igualmente bárbaros do camarada Stalin?

Não só não são lembrados como em meios esquerdistas (os mesmos meios que demonizam Israel e fazem vista grossa para o festival de crimes no resto do mundo) o "Guia Genial dos Povos" tem seus simpatizantes. Afinal, não foi Stalin quem industrializou a Rússia e fez dela uma "potência"? Os "fins" justificam os "meios", dirão.

Acabo de ler (em inglês, ainda não foi traduzida para o vernáculo) a biografia de Stalin do historiador russo Edvard Radzinsky, que teve acesso aos arquivos “secretos” da finada União Soviética, e fiquei horrorizado, indignado. Assim como supostamente existiria um "Deus" que premia os virtuosos, parece que existe um "diabo" que premia os perversos e faz com que todos seus empreendimentos deem certo.

Stalin é culpado da:

· morte de milhões de camponeses russos na coletivização forçada da agricultura

· morte de milhares e milhares de desafetos — primeiros a oposição menchevique e social-revolucionária, depois os próprios revolucionários bolcheviques, o generalato russo e finalmente qualquer um com quem ele "cismasse" (podia ser eu ou você)

· trabalho escravo nas grandes obras de construção de barragens, hidrelétricas, etc.

· o Gulag, descomunal campo de concentração, imortalizado pela obra de Soljenitzin

· a morte de desafetos no exílio (o assassinato de Trótski no México foi apenas a ponta do iceberg)

· a deportação forçada para regiões remotas de etnias inteiras (e se não fosse a sua morte os judeus seriam os próximos)

· o “abandono” de Varsóvia às tropas alemãs já no finalzinho da guerra, quando o Exército Vermelho poderia ter intervindo e poupado milhares de vidas, só para desmoralizar o governo polonês no exílio e viabilizar o “golpe” comunista no pós-guerra

· uso da população como “bucha de canhão” para “cansar” os invasores nazistas antes de mobilizar as tropas realmente de elite

· pacto com Hitler e invasão de metade da Polônia, dos países bálticos, além da tentativa (malograda) de abocanhar a Finlândia

No prefácio à sua sucinta biografia do ditador russo, escreve o historiador Paul Johnson: “Stalin foi um monstro, um dos maiores monstros que a civilização já produziu.”

Sou do bem. Não gosto de black block, nem de racismo, nem de antissemitismo, nem de homofobia, nem de quem abate elefantes para vender o marfim, menos ainda do fanatismo islamista. E odeio Hitler, Mao e Stalin.


4 comentários:

Isabel Vidigal disse...

"Stalin era um monstro, mesmo, todos esses ditadores, não importa se são chamados "de direita" ou "esquerda" são asquerosos, Mao Tse Tung também matou milhões e eu conheci mais de uma pessoa que "achava lindo" as reformas que ele tinha feito, não querendo admitir os massacres que ele promoveu.

É verdade, existe uma rede invisível para tentar ignorar o que esses monstros fizeram, como só Hitler, que chamam de "direita" fosse capaz dessas atrocidades. Mas, para mim, não existe direita ou esquerda nisso tudo, são todos monstros." (comentário enviado por e-mail e inserido aqui pelo editor do blog)

Esther Largman disse...

Acrescente a fome que matou milhões na Ucrânia. Tenho duas testemunhas.
1) Minha madrasta que o odiava, no cerco que determinou o extermínio pela fome morreu de inanição sua mãe. Não eram judeus.
2) Recebi pelo meu filho Beto, vizinho, o livro com dedicatória da sra. Irene Popow - Adeus Stalin - onde ela em sua autobiografia descreve os horrores pelos quais passou o povo ucraniano, que, em passant, não é muito filossemita... essa senhora é irmã de Ludmila ex Popow, Mayrink, lindas ambas, com quem trabalhei na Câmara ds Vereadores. Seu esposo foi ministro de não lembro qual órgão.
3) Foi Stalin que fundou a "república soviética" de Birobidjan, nos cafundós da Crimeia, destinada a congregar os judeus como etnia, cultura, etc., na ocasião foi até enaltecida e hoje está decadente, muitos judeus emigraram, enfim, ainda existe com suas sinagogas, prédios, praças, etc. (enviado por e-mail)

Alexei Bueno disse...

Concordo com V., em gênero, número e grau, esse era mesmo o demônio em forma de gente. Mando-lhe algumas fotos pavorosas das duas grandes fomes criadas pelos comunistas na Rússia, em 1921 (ainda sob o Lênin), e depois na Ucrânia, com a famigerada coletivização forçada. Nelas V. verá o canibalismo explícito, donde nasceu a velha história de que “comunista comia criancinha”, considerada “calúnia dos reacionários imperialistas”, e que, no fim das contas, era a pura verdade! (enviado por e-mail)

Waldir do Val disse...

Boa lembrança, Ivo, a de desmascarar esse ídolo dos vermelhos, por
estes endeusado nos tempos da Segunda Guerra. A história quase sempre
é implacável. (enviado por e-mail)